Associação Médica de Goiás - AMG

Educação
Continuada

Autonomia da mulher na hora do parto

Publicado em : 22/02/2017

Fonte : Por José Hiran da Silva Gallo - Diretor Tesoureiro do Conselho Federal de Medicina -

O princípio da autonomia é um dos pilares da Bioética contemporânea. Sua relevância atual é indiscutível, pois se relaciona diretamente com a autodeterminação dos indivíduos. No caso da medicina, dos pacientes. Assim, refere-se ao poder de decidir sobre si mesmo, como expressão da liberdade do ser humano que deve ser resguardada.

Tanto na teoria, quanto na prática autonomia não é questão de gênero. Não se trata de direito ou benefício exclusivo de homens ou mulheres, que podem exercê-la em diferentes circunstâncias de vida, inclusive durante etapas de processos terapêuticos, incluindo-se a adoção – ou não – de determinadas técnicas ou procedimentos.

Assim, cabe aos médicos oferecer ao seu paciente (homem ou mulher) as informações técnicas necessárias para orientar as decisões que tomará, sem o emprego de influência ou manipulação.

No período contemporâneo, isso implica também em dar voz ativa a homens e mulheres no momento em que passam a integrar uma relação médico-paciente. Esse empoderamento decorre de inúmeros fatores que interagem para formar uma nova realidade, cada vez mais distante da época na qual predominava uma postura paternalista e autoritária de médicos.

Foram mudanças tão profundas que, em 2010, o novo Código de Ética Médica, que já se prepara para enfrentar uma atualização, selou esta forma desejada de manifestação do binômio médico-paciente no Brasil. Trata-se da confirmação da importância da autonomia do paciente como princípio na prática da medicina.

Em fevereiro de 2016, a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) demonstra que marcha contra a maré no que se refere ao respeito à autonomia. A prova está na sua Resolução Normativa (RN) nº 398, editada sob a desculpa de incentivar o parto normal no País. Para que essa “boa intenção” fosse viabilizada, editou-se uma regra mal formulada e que, em resumo, agredia brutalmente o princípio da autonomia da mulher, enquanto paciente.

Os parâmetros determinados pela RN nº 398 tornaram a escolha pelo parto cesáreo praticamente impossível pelas gestantes, colocando contra a parede médicos e pacientes, penalizando-os diante da ANS, cujo objetivo real era bem menos nobre do que o anunciado.

Na verdade, tudo foi feito às pressas e sem diálogo com entidades profissionais e de defesa dos direitos das mulheres, para livrar a Agência de penalidades por descumprimento de decisão judicial que exigia dela (autarquia) medidas para coibir a incidência de partos cesáreos nos planos de saúde.

Houve necessidade do Conselho Federal de Medicina (CFM), com o apoio de sua Câmara de Ginecologia e Obstetrícia, aprovar a Resolução nº 2.144/2016 para resgatar a autonomia do médico-paciente, no caso da mulher-gestante, a qual havia sido negligenciada pela ANS.

Desse modo, o texto estabeleceu que é ético o médico atender a vontade da gestante de realizar parto cesariano, garantida a autonomia do profissional, da paciente e a segurança do binômio materno fetal.

Essa norma do CFM definiu critérios para cesariana a pedido da paciente no Brasil, sendo que, nas situações de risco habitual e para garantir a segurança do feto, somente poderá ser realizada a partir da 39ª semana de gestação.

Tal medida de grande repercussão lançou luz sobre as trevas criadas pela ANS, em especial por resgatar os direitos da paciente e da mulher, até então sob ameaça.

Em lugar do autoritarismo da Agência de Saúde Suplementar, o CFM seguiu o caminho do consenso para enfrentar o problema das cesáreas desnecessárias no Brasil. Pela regra, tudo começa com muito diálogo, logo nas primeiras consultas de pré-natal, quando o médico deve discutir exaustivamente com a gestante sobre os benefícios e riscos do parto vaginal e do parto cirúrgico, ressaltando-se seu direito de escolha entre um e outro.

O caminho adotado pelo CFM dialoga, assim, com a imagem esperada do Brasil, visto globalmente como sede de uma democracia moderna, no qual a cidadania tem se consolidado e a liberdade de autodeterminação torna-se cada vez mais preponderante.

Impasses dessa envergadura comprovam a vocação do Conselho Federal de Medicina em cumprir suas responsabilidades e permanecer em alerta, em defesa da profissão, do médico, da sociedade e do paciente, sempre de forma isenta e sem interesses de qualquer outra natureza.

É graças a esse empenho da instituição que o princípio da autonomia da mulher na hora do parto continua a ser respeitado no Brasil, apesar das agressões vindas de setores que deveriam legislar para todos e não para si próprio. Afinal, fica a lição de casa: não se muda cultura e comportamento de um povo com o peso de uma caneta.

 

Artigos

A verdadeira prevenção

19/03/2018
No discurso de abertura do 1.º Congresso Internacional de Práticas Integrativas e Saúde Pública, no Rio de ...

A assistência ao doente mental no rumo certo

27/02/2018
22 de dezembro de 2017: um marco na história da assistência psiquiátrica no Brasil. Neste dia, o Ministério da ...

Pátria amada Brasil!

Por Pedro Honorato Pinheiro, ginecologista-obsteta 25/04/2017
O Brasil não está tão triste pelo que está acontecendo agora. O triste é ver que depois de 517 anos ainda ...

Muito mais do que promessas

Por José Hiran da Silva Gallo - Diretor do Conselho Federal de Medicina (CFM) e Doutor em Bioética 21/03/2017
Infelizmente, vivemos num mundo onde sonho e realidade nem sempre convivem de forma harmônica. Todos gostariam que a desigualdade social ...

Reflexões sobre o sistema penitenciário brasileiro

Por José Hiran da Silva Gallo - Diretor do Conselho Federal de Medicina (CFM) e Doutor em Bioética 14/02/2017
A tragédia que atingiu recentemente vários presídios brasileiros, onde centenas de homens foram mortos numa guerra de ...

Medicina do futuro

Por Waldemar Naves do Amaral, Prof. do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Faculdade de Medicina da UFG eTenente Coronel Médico da Polícia Mi 01/02/2017
A Medicina do Futuro está embasada em duas condições bem claras: 1º mudança do olhar populacional ...

Zika –mito ou realidade?

Por Waldemar Naves do Amaral, ginecologista-obstetra e professor da Faculdade de Medicina da UFG 10/03/2016
A evidência na medicina e na saúde têm uma conotação direta com a ciência, que é a verdade ...

A situação de transplantes em Goiás

Por Dr. Luciano Leão Bernardino da Costa - Gerente da Central de Transplantes da Secretaria de Saúde do Estado de Goiás 15/09/2015
A história dos transplantes em nosso estado tem seu início no então Hospital Geral do INAMPS, onde se realizou o primeiro ...

Informativo sobre a permuta dos imóveis de propriedade da AMG por unidades autônomas no Órion Business & Health Complex

18/03/2015
Por decisão unânime tomada pelos membros da Diretoria da Associação Médica de Goiás, cuja ...

CAIS: até quando fugir do problema?

Por Dr. José Umberto Vaz de Siqueira, presidente da Associação Médica de Goiás 15/12/2014
Acordamos, nos últimos dias, com os jornais da capital estampando em suas principais páginas manchetes sobre o fechamento de ...

Porque os médicos devem se manifestar politicamente

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 11/06/2014
O Governo brasileiro tem chicoteado a categoria médica nos últimos anos, tentando sempre nos imputar o ônus do caos instalado ...

Urnas eleitorais são nossa esperança por uma saúde justa e digna

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 04/02/2014
O ano de 2014 carregará, em seus meses, grandes acontecimentos em nosso país. Receberemos, em território brasileiro, a maior ...

SUS é desfalcado por desperdícios, insuficiência de recursos financeiros e péssimas condições de trabalho do médico

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 02/12/2013
Cerca de 70% dos discentes da Faculdade de Medicina da Universidade Federal de Goiás NÃO pretendem trabalhar na ...

Diante da ganância pelo poder, a fé e o amor de quem dá a vida pela Medicina.

Por Dr. José Umberto de Vaz Siqueira 28/10/2013
Quando eu estava com 15 anos de idade, comecei a pensar  que queria ser médico. Naquela inocente adolescência de 30 anos ...

18 de outubro, Dia do Médico.

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
"Eu juro, por Apolo médico, por Esculápio, Hígia e Panacea, e tomo por testemunhas todos os deuses e todas as ...

Contra a desmoralização do sistema de saúde brasileiro.

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
Em recente pronunciamento do ministro das Relaçãos Exteriores, Antônio Patriota, ficou constatado o interesse do governo ...

Das capitais para o interior.

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
  Na última década, o número de médicos brasileiros cresceu 21,3%, índice superior ao aumento da ...

Diagnósticos equivocados de Dilma Rousseff.

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
Se a saúde pública brasileira fosse paciente da presidente Dilma Rousseff, certamente estaria em estado terminal. São ...

Falta investimento do Governo à saúde.

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
Classe médica defende o Saúde + 10, movimento nacional que busca a coleta de assinaturas para um Projeto de Lei de iniciativa ...

Para onde vai nossos crescentes tributos?

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
  Insatisfação. No dicionário, significa falta de contentamento. Mas levada à realidade, a palavra traduz o ...

Pelo direito à vida.

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
O aborto é a expulsão de um embrião ou de um feto antes do final do seu desenvolvimento e viabilidade em ...

Plano de Carreira para médicos é fortaleza para o Sistema Único de Saúde.

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
  No dia 10 de setembro, o deputado Eleuses Paiva (DEM/SP), relator na Comissão Especial destinada a proferir parecer sobre a ...

Quem não deseja o reconhecimento?

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
  “Para exercer a Medicina com honra e dignidade, o médico necessita ter boas condições de trabalho e ser ...

Quer engravidar? Não conte com o Governo.

Por Dr. Rui Gilberto Ferreira 21/10/2013
  Segundo a Organização Mundial da Saúde, a infertilidade afeta de 8% a 15% da população brasileira. ...
voltar
Associação Médica de Goiás - AMG